terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Resenha: O despertar de uma nova consciência

O despertar de uma nova consciência



Autor: Eckhart Tolle
Editora: Sextante
Número de páginas: 272

Skoob

Sinopse: 

Mais do que em qualquer outra época de sua história, a humanidade tem hoje a chance de criar um mundo novo - mais evoluído espiritualmente, mais pleno de amor e sanidade. Para Eckhart Tolle, autor de "O Poder do Agora", clássico da literatura espiritual, estamos vivendo um momento único e maravilhoso: "O do Despertar de uma Nova Consciência".

Ele nos mostra que o salto para essa nova realidade depende de uma mudança interna radical em cada um de nós. Precisamos nos livrar do controle do ego, pois essa é a fonte de todo o sofrimento humano. Sob seu domínio, somos incapazes de ver a dor que infligimos a nós mesmos e aos outros.

No momento em que despertamos, o pensamento perde a ascendência sobre nós e se torna o servo da consciência, que é a ligação com a inteligência universal, a fonte da vida da qual todos nós procedemos.

Enquanto desvenda a natureza dessa mudança de consciência, Tolle nos ensina a vencer as artimanhas que o ego utiliza para nos isolar uns dos outros. De forma inspiradora e surpreendente, ele nos ajuda a descobrir o nosso verdadeiro eu, a essência humana genuína que nos permitirá construir o novo mundo e viver em harmonia com tudo o que existe. 

Este livro me trouxe muita lucidez a respeito de muitas questões delicadas do ser humano. Termos consciência de nós mesmos, de nossas dores, aflições não é tão fácil quanto imaginamos, vai além do: sim eu tenho traumas. 

O que é consciência, o que é pensamento? Vocês já pararam para analisar as diferenças de cada um? Mas porque isso é importante? Porque precisamos nos conhecer, conhecer nossos mecanismos internos, conhecer como funciona esse corpo que habitamos e as emoções relacionadas. 

Quantos comportamentos temos e achamos que é normal, quantos pensamentos que temos que nos deixam para baixo, quantas coisas fizemos e depois nem nos reconhecemos nelas? Achamos estranho mas  não vamos em busca de respostas porque acreditamos que não é nada demais... mas é sim. 

Cada atitude que temos está intimamente ligada aos nossos pensamentos que está ligado ao inconsciente que está ligado a tudo o que vivemos, ouvimos, presenciamos desde a infância. É uma rede complexa sim e por isso merece atenção!  Quanto sofrimento podemos acalmar, quantas dores podemos deixar de sentir se usássemos a mesma energia de ver redes sociais para descobrir como funcionamos, quais traumas temos e como enfrentá-los. 

Espiritualidade e religião, o que um tem a ver com o outro, qual é o papel de cada um, quais são suas diferenças? E o que tudo isso tem a ver com nosso comportamento?

Corpo de dor...o que é e qual relação tem com tudo o que citei acima? No instante que identificamos o que sentimos, verificamos quem somos, dores quais são elas e podemos transformar nossas vidas!
Este livro traz isso: consciência de quem somos, de como funcionamos e de tudo o que pode estar relacionado com nosso comportamento diário.

Um livro que transformou minha vida, um livro que não tenho mas quero ter em minha estante, um dos melhores livros que já li na vida. 


domingo, 27 de janeiro de 2019

Resenha: O Guardião da Meia-Noite

O Guardião da Meia-Noite




Autor: Rubens Saraceni
Editora: Madras
Número de páginas: 197

Skoob

Sinopse: 

Este é um livro de ensinamentos éticos, envolvendo os tabus da morte e dos erros vistos sob uma nova ótica. Nova porque somente agora está sendo quebrada a resistência da ciência oficial, mas que é, realmente, muito antiga, anterior aos dogmas que insistem em explicar tudo pela razão extraída nos laboratórios. Ninguém fica impune quando desafia a Lei e, em conseqüência, enquanto não purgar todo o vício que o conduziu na afronta a Ela não receberá outra coisa senão o tormento da fúria divina, que o perseguirá pelo tempo que for necessário até que desperte do pesadelo em que está adormecido seu ser imortal.

Este livro a princípio pode assustar pela capa, pelo nome mas a quem se aventure em ler ele encontrará muito conteúdo bom e muitos temas a serem refletidos. 

A morte romantizada aqui não tem espaço, aqui se fala da morte como tal e com foco na morte de pessoas que são levianas na terra, das pessoas que não se importam com os outros, daquelas que só pensam no seu próprio bem estar. 

Mas aqui também mostra que muitos que trabalham na escuridão por escolha própria, podem ser anjos, anjos negros sim, mas anjos....

Vale muito a pena a leitura...

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Resenha: A biologia da crença

A biologia da crença




Autor: Bruce Lipton
Editora: Butterfly
256 páginas

Sinopse:

"Bruce Lipton, o autor de A biologia da crença, é um dos pioneiros de uma nova área de estudos denominada "Nova Biologia", que discorre acerca da relação entre os organismos biológicos, o meio ambiente, o pensamento, as percepções e até o subconsciente e mostra, por exemplo, que, ao contrário do que se sabe, o DNA e os genes são controlados pelos sinais de fora das células, como as mensagens de energia emanadas de pensamentos positivos e negativos. Por isso, segundo M. T. Morter Jr., fundador do Morter Health System, A biologia da crença mostra que a mente é mais poderosa do que qualquer medicamento, quando se trata de recuperar a saúde."


O livro Biologia da Crença foi escrito pelo cientista norte-americano Bruce Lipton -- ele era professor de anatomia do tipo que não acreditava em energias e no poder que elas poderiam ter. Anos após ministrar tantas aulas, ele se depara com situações que fizeram mudar a visão acerca das células do nosso corpo.

O autor explica como todas as células do corpo são influenciadas pelo pensamento e pelo ambiente em que vivemos. Como o pensamento pode agir dentro da célula? O que há nessa partícula que retém informações e as interpreta de forma a indicar como cada célula deve se comportar?

O livro é bem interessante, há muitos termos técnicos, mas fáceis de entender. Há também passagens da vida do autor, onde ele relata como foi a mudança de crença que ele teve nas suas próprias pesquisas e conclusões delas. 

Para quem quer conhecer um pouco da engrenagem do nosso corpo, com base nas crenças e emoções, este livro é indicado.


Resenha: O Inferno somos nós - do ódio à cultura de paz

O Inferno somos nós - do ódio à cultura de paz




Autores: Leandro Karnal, Monja Coen
Editora: Papirus
111 páginas

Sinopse:
"Em tempos adversos, de crise, preconceito e intolerância, como transformar o ódio em compreensão do outro em suas diferenças? Como sair de um cenário de violência e construir uma cultura de paz? O historiador Leandro Karnal e a Monja Coen, fundadora da Comunidade Zen-budista do Brasil, conversam nesse livro sobre essas e outras questões. Os autores lembram que o medo pode estar na origem da violência e apontam como o conhecimento, de si e do outro, é capaz de produzir uma nova atitude na sociedade, menos agressiva e mais acolhedora."

Este livro tem uma linguagem muito simples e é dividido em partes que a monja Coen coloca sua posição sobre um determinado ponto do assunto tema do livro e em outras partes que o Leandro Karnal expõe sua visão.

Eles debatem sobre a inversão de valores que hoje em dia está tomando conta do mundo, na verdade que já tomou: quando o medo é imposto, é provocado na população e como isso pode ser prejudicial para todos. 

O medo é muito debatido no livro, o que ele causa nas pessoas e quais consequências que pode provocar, a importância de reverter esse quadro. E ligado ao medo a estrutura social que temos, onde as escolas entram nesse assunto e como podem contribuir, qual o papel da família nisso tudo?

Mas não é só de interferências externas que alimenta o medo, mas também da interferência interna, a mental. Como os pensamentos devem ser tratados, como a mente pode receber a devida atenção e os cuidados que devemos ter com ela, como a meditação pode nos ajudar nesse processo.

A paz é um assunto bem complexo apesar de não parecer, ela engloba sistemas enraizados nas culturas dos países, no comportamento de cada indivíduo, na rotina dentro de cada família, com as ideias pré concebidas por cada um de nós e muito mais da tolerância, ou falta dela, de nós para com os outros, com as diferenças que podem não fazer parte de nossos valores, do conjunto de comportamento que acreditamos serem adequados. 

O livro é um bate papo dessas duas pessoas maravilhosas.  A leitura flui tranquilamente e quando o livro termina a vontade é de pedir mais.  


quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Resenha: Severos Sussurros Ternos

Autor: Cassiano Vinícius Pereira
Editora: Madio Editorial
Número de páginas: 165


Severos Sussurros Ternos é um trabalho com mais de 100 poemas, inspirados em diversos temas tais como glória, razão, orgulho, erotismo, paixão, desprezo, animais, cotidiano, lembranças, entre outros. Além dos titânicos e considerados oponentes: ódio e amor.

Ele traz em suas páginas o calor de versos traçados com esmero e a poesia feita com suas moldadas palavras, tão abundantes em nossa riquíssima língua portuguesa. Entre metáforas e demonstrações da fé humana e racional, entre terrenos desejos e utópicos sonhos viventes na mentalidade dos verdadeiros amantes, respira esta obra. Um passeio entre sublimes delírios e indispensável equilíbrio.

Não há quem possa negar que os feitos da sensibilidade, tão presente no âmago de todos nós, realizam-se surpreendentemente; assim, benéficos e embriados escritos como este e tradicionais preciosas cartas ainda propagam-se aos montes, criados pelas mãos de admiráveis pessoas e espalhados por inflamados corações, ao redor deste vasto mundo.


Me surpreendi com o talento dessa pessoa tão sensível quando trabalha com escrita. O livro chegou de surpresa e me provocou alegria em ver mais um grande talento nessa área da poesia. 

Tantos assuntos, variedade de temas que remetem ao nosso cotidiano, relatos decorados de emoções e sentimentos que muitos de nós já sentiu, pelo menos alguns deles. 

Assuntos talvez comuns, recebendo atenção de um modo diferente, um jeito que só a poesia sabe dar.

Gostei muito desse livro, gostei muito da forma como foi trabalhado tantos assuntos do cotidiano. Com certeza temos um grande talento e que espero, possa nos presentear com mais palavras belas e muito bem escritas. 

Para finalizar, deixo uma das tantas poesias do livro:

Quem é o sóbrio e capaz de traduzir,
O canto dos pássaros engaiolados?
Tão ávidos de voar e existir,
No real mundo dos galhos elevados!

Será um som de alegria,
Expressando a magia de suas vidas, tão
confinadas e vazias?
Ou puramente melancolia?

Peço aos fantásticos querubins que desçam à cidade,
E abram toda e qualquer prisão;
Inocentes aves: redenção!
Oh, sinistra humanidade!

Espalhem-se, pequeninos, pelo céu azulado!
Enfeitem teus ninhos delicados!
Alimentem os multiplicados filhotes esfomeados!